Você está preparado para a indústria 4.0?

A Primeira revolução industrial iniciou por volta de 1750 na Inglaterra, logo se expandiu para a França e Bélgica, onde as atividades comerciais ditavam o ritmo de fabricação. A produção de tecidos de algodão foi o primeiro processo mecanizado, passando da manufatura para o fabril.

A Segunda revolução aconteceu entre os anos de 1850 e 1950, foi marcada pelo aumento no consumo de produtos industrializados. Novas fontes de energia foram descobertas (motores a combustão, locomotiva a vapor, usinas hidrelétricas e energia nuclear) impulsionando ainda mais este período. Foram desenvolvidas as linhas de montagem, milhares de itens eram produzidos em série para redução no custo final do produto.

A Terceira revolução iniciou por volta de 1970 com a robótica, implementada nas linhas de montagem da indústria automobilística. Expansão no acesso a computadores e a internet, consolidação do capitalismo, terceirização da economia e expansão das empresas multinacionais.

É inegável que todas as revoluções ocasionaram a substituição da mão de obra por máquinas, então, quais habilidades serão necessárias para a revolução 4.0?

Posteriormente, iniciou na Alemanha, em 2011, o avanço na logística de produção com a digitalização da operação industrial, transferindo a maioria das decisões do chão de fábrica que eram realizadas por funcionários para as máquinas, através de sistemas integrados, tudo é feito em tempo real. Máquinas ligadas à rede mundial de computadores trocam comandos entre si, armazenam seus dados na nuvem, aumentando a eficiência de produção e reduzindo custos. Aqui no Brasil já temos algumas indústrias consideradas 4.0.

Por exemplo a Volkswagen Brasil investe pesado em equipamentos e softwares, além de oferecer treinamentos para seus funcionários atuarem com esta nova realidade. Atualmente os projetos são confeccionados digitalmente, realizadas simulações em ambientes 3D, acelerando o processo de criação, garantindo flexibilidade e otimização de tempo. Em dois anos, a empresa já evitou o gasto de 93 milhões de reais com erros e correções.

Logo, assim que um pedido é feito na loja, o sistema integrado com a fábrica analisa as características escolhidas, solicita aos fornecedores a confecção das peças necessárias, ou seja, o carro que ainda vai entrar na linha de montagem já tem dono, tudo é feito automaticamente, sem a necessidade de parar um robô, reconfigurar e retomar a produção.

Na sua opinião, quais serão as habilidades que o profissional deve desenvolver para esta revolução? Com o acompanhamento de um coach, você conseguirá potencializar seus resultados, conheça!

Se esta dica foi útil para você, compartilhe e ajude a divulgar essa informação!

Join the Discussion

Comments are closed.